27/02/2011

A - -























Os recantos onde aves vêm cantar,
..quando em sonhos, seus cantos mais sábios,
são lábios - e são música sem par
as palavras que saem de teus lábios.

E teu olhar, do céu do coração
onde mora, então cai, solitário,
meu Deus! em minha fúnebre aflição
como a luz de uma estrela em sudário.

TEU coração! E acordo a suspirar
e a sonhar outra vez adormeço,
com a verdade sublime e sem preço
que o ouro é pobre demais para comprar.

Edgar Allan Poe
In Poesia e Prosa
Traduzido por Oscar Mendes e
Milton Amado
foto de  a Von Taylor  no Flickr

2 comentários:

R.B.Côvo disse...

Edgar Poe é fabuloso! Abraço.

Roberta Maia disse...

Lindo,lindo...
Seu blog é para ficar horas lendo,lendo...

Tenha um Lindo Domingo!!
Muita LUZ!!!