20/04/2010


by foto de Axel no flickr

POEMA QUIETO

Deixe que o silêncio discorra por nós
e ache as respostas.
Que nos beije o peito,
que nos coce as costas
e nos dê o direito de calar
o tempo.
Deixe que ele cubra o momento
e se distenda leve
como um lençol de renda;
que seja arguto o bastante
para impedir o instante de ser breve,
Deixe que o silêncio nos proteja.
Pra que ninguém escute,
nada se revele
e possamos trocar as nossas peles
sem que a censura veja.

Flora Figueiredo
In Calçada de Verão

2 comentários:

Flor ♥ disse...

Oi, Dione!

Um encanto... além das imagens e do poema, teu carinho! Obrigada pela presença poética em minha página do Orkut!

Beijinhos de paz!

Sonia Schmorantz disse...

Lindo este poema da Flora!
beijo