06/04/2010

FELICIDADE ENTARDECIDA


Anjo branco da minha felicidade entardecida,
quem te deu asas que te dê agora
a paz plana e mansa da terra,
quem te deu fôlego de ave, que te dê agora
a respiração lenta e vegetal do musgo,
a sapiência agreste dos corais e dos limos.
Demorei-me tanto a esperar por ti
que já nem dou pela tua ausência,
pelo vazio de pétalas e rumores
que instalas em redor de mim.
Cobria-me os olhos uma renda desenhada
pelo engenho dos dedos,
tecida pela filigrana das agulhas
e o mundo que via através dela
tinha a palidez de uma doença mortal,
a beleza fragmentada de uma flor
sufocada pelo assédio das areias.
Tu prometias voltar se eu adormecesse cedo
e levavas contigo a felicidade num dardo de vento.

José Jorge Letria
In O Dom Intranqüilo
tela 1893 by Peder Severin Kroyer

Um comentário:

iracema forte caingang disse...

Oi querida!Estou passeando nas letras do seu blog, maravilhoso.Tudo de bom beijão