25/05/2010


foto by Sicilian Italiano

SAUDAÇÃO AO MEIO DIA

Salve, oceano agora pouco crispado,
com a franja de tuas espumas nos rochedos longe.
Salve, sagrada superfície, sal de nossa substância,
morte do nosso desejo de morrer.Pois mais se fixara
o mastro do exílio sem indulto, não fora as mercadorias
[ que nos trazes

na crista de tuas ondas eternas, salve!

Tua embriaguez maior que os vinhos da terra, salve!
Teu hausto mais amplo que o amor nosso, salve!
Tuas velas enxutas para a ardente extensão de nossas
[lágrimas, salve!

Obrigado, pelas origens que de repente nos revelas,
em meio-dia que não teria salvação se não fosse o
[ teu sopro,

a tua intuição essencial da distância ,
o vulto das embarcações que levas no teu dorso.

Hélio Pellegrino
In Minérios Dourados

Nenhum comentário: