22/05/2011

BAILANDO NO VENTO E NO COSMO




























Eu sou essa música
que ouves em surdina
nas máquinas do tempo.
Eu sou esse perfume
finado, mas vivo
que o vento trouxe
para reavivar a tua memória...

Sou a beleza sonhada
da nossa história
que não foi vivenciada
pelos nossos sentidos.
Eu sou essa alma sozinha
que baila no vento
à espera de abraços...

Sou música em surdina
sou perfume e beleza no espaço,
sou o teu sonho mais lindo de outrora
que agora te chama
em forma de rima...
Vem comigo, o sonho recordar
e se a música te anima
o vento te ensina:
- aprende a amar!

Zoraida H.Guimarães
In Na passarela do tempo
tela de Adolphe William Bouguereau

Nenhum comentário: