17/10/2011

MELANCOLIA



À morte se consagram hoje todas
as que ainda ontem para mim ardiam:
uma por uma, vão caindo as flores
da árvore da melancolia.

Eu as vejo caindo, como cai
a neve em flocos sobre a minha senda:
já não se ouvem passos ressoando,
acerca-se o grande silêncio.

O céu já não tem mais nenhuma estrela,
nem mais o coração nenhum amor:
há silêncio na cinza da distância,
o mundo está velho  e sem cor.

Quem é que pode ter o coração
a salvo,neste tempo de porfia?
Uma por uma, vão caindo as flores
da árvore da melancolia.

Hermann Hesse
In Andares
tela Gene McInerne

3 comentários:

Henrique Rodrigues Soares disse...

Quem é que pode ter a salvo o coração neste mundo de porfia... Como gosto de Hesse, seus versos são de tocar na alma. Parabéns Dione pelo seu espaço que cada vez que visito não dá vontade mais de sair.

Sds.

Flor ♥ disse...

Olá, querida...

vim matar saudades e colher a beleza do teu blog!

Bjs.

Dione Cristina Coppi Eller disse...

Oi,Henrique, fique à vontade!!
Beijosss

Florzinha, quanto tempo!Colha o quanto quiser!!!beijosss