18/12/2011

ASPIRAÇÃO


ah, se pudéssemos ao menos
conservar um pássaro entre as mãos
guardar essa pedra colorida
e amar irreflexivamente

ah, se pudéssemos ao menos
conservar o sorriso molhado de chuva
esses passos marcados na tarde marinha
o vestido branco deslizando na tarde
e as doces palavras...

ah, se pudéssemos conservar esse pássaro molhado
e extrair da lágrima a lágrima
identificá-la assim na matriz do sorriso
a pérola humana, reação à morte,
a essência pura (mais pura que a morte)
de todo o sentimento,ah, quem sabe
talvez assim fosse possível não morrer.

Rio, julho de 1969.

Álvaro Pacheco
foto por Rivertay

Nenhum comentário: