21/03/2012

MARGARIDAS NO JARDIM




Quando chega o calor,
é fácil encontrar
margaridas à revelia,
uma aqui, outra acolá,
sem nenhuma simetria.
Em latas, fazendo vasos,
na varanda a enfeitar
casas simples e pequenas,
que se expandem em aconchego,
abrigando um grande lar.
E quando chega a tardinha
e a noite se avizinha
com o negrume do seu véu,
adormece a claridade
que vai sonhar lá no céu,
no berço grande da lua,
que na intensão flutua.
Enquanto aqui no jardim,
o branco das margaridas
reflete a luz do luar.
Parecem estrelas cadentes,
que num risco, de repente,
aqui vieram morar.

Zelândia Thomazi Bratti
In Poemas Coloridos
foto http://farm7.staticflickr.com/6138/5960434654_81f72347cd.jpg

Um comentário:

Mara disse...

Boa tarde Dione!
Que grata satisfação de encontrar aqui no seu blogue uma poesia que tem como autora a Zelândia.Trabalhei no Colégio Santo Antônio nos anos de 1984 a 1987.Foi uma época muito boa e guardo boas lembranças dela e do Tarcísio.Atualmente resido em Torres Vedras - Portugal.
Obrigada pela partilha.
Beijo carinhoso,
Mara