23/12/2012

É QUANDO A CHUVA CAI




É quando a chuva cai
e os pássaros se calam
que meus mortos 
passeiam no jardim.
Vejo a amiga esgueirar-se 
atrás do tronco
há um parente no galho empoleirado
outro goteja quieto
sobre a pedra.
E os mais moços
ainda presos à vida
percorrem os caminhos.

Protegido meu rosto
na toca do capuz
tento ouvir-lhes as vozes.
mas por mais que me esforce
ouço apenas a chuva.
E me deixo ficar
sentada na neblina
como um buda de capa amarela.

Marina Colasanti
In Rota de Colisão
tela  Leonid Afremovic

Um comentário:

Carlos Rímolo disse...

Minha querida amiga Dione !!!

Passando por aqui para deixar meu carinho e,
Desejar-lhe um maravilhoso Natal e, um belíssimo
Ano Novo.
Que os seus caminhos sejam sempre iluminados,
Com muita paz, poesia, felicidades e amor em seu
Coração.
Beijos de luz !!!

POETA CIGANO – 23/12/2012

http://carlosrimolo.blogspot.com

Macaé – Rio de Janeiro – Brasil.