01/04/2014

XX



Quem curvar-se
Sobre este poema
Não tardará em abraçar
                              aqui
 
O circo
O riso
O estranho
O diverso
O triste
O brinquedo
O esconde-e-acha
O fruto da altura
Do sonho
O salto
O espanto
E o reverso dos olhos
 
Em ver
Que ante a paisagem dos anos
A infância
Ainda é o mesmo trapezista
Que não retornou do último
                salto
 
Eulália Maria Radtke
In Espiral de Poemas 
arte Marysia Portinari 

Nenhum comentário: