20/07/2009


Leda by Michelangelo

Ó noite, ó doce tempo,
'inda que negro,
que paz em cada obra finalmente infunde;
bem vê e bem entende quem te exalta
e quem te louva tem o intelecto íntegro.
Quebras e rompes todo frouxo pensar
que a úmida sombra e quietude envolvem
e da ínfima parte à mais alta
em sonho alças amiúde onde também
espero chegar.
ó sombra do morrer, por quem se detém
toda miséria inimiga da alma e do coração,
dos aflitos, último e bom remédio;
logras curar nossa carne enferma,
enxugas o pranto,alivias toda fadiga,
e tiras ira e tédio de quem vive bem.

Michelangelo Buonarrotti
In Poemas
Tradução de Nilson Moulin

Nenhum comentário: