31/08/2011

LUAR


a Jane

É o luar que me inventa
nesta varanda de prata.
Faz bem pouco, havia apenas
silêncio, e uma alma escassa.

É do luar este conto
solto na espuma do ar,
e que me conta, me sonha
contra ruína. É o luar

em seu tear me tecendo,
soprando-me uma alma vasta
e as velas desta varanda
em águas iluminadas

por sua lira que respira
este conto - enquanto tarda,
na sombra, a princesa fria
que há de vir me beijar.

Ruy Espinheira Filho
In Poesias Reunidas
foto por ritsu.w 

Um comentário:

Lu Cavichioli disse...

Oi Dione, boa noite!

Passei pra te deixar um abraço!

bj